22 de Julho Dia Estadual do Combate ao Feminicídio - Mais FM 100.5.

Ações de conscientização contra o feminicídio marcam dia contra o crime - Mais FM 100.5.



© Rogério Machado/Arquivo AEN

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, marca o Dia Estadual do Combate ao Feminicídio, nesta quinta-feira, 22 de julho, com ações de conscientização contra esse crime. A data foi instituída por lei estadual sancionada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em 2019, e que tem como objetivo incentivar e unificar ações de prevenção à violência contra a mulher.

As ações são coordenadas pelo Departamento de Garantia dos Direitos da Mulher da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho.

Hoje, o Paraná tem canais de denúncias anônimas, como os telefones gratuitos 180 (nacional) e 181 (estadual), que permitem que outras pessoas também avisem a polícia sobre casos de violência contra a mulher. “Juntos, poder público e a sociedade precisam enfrentar esse problema tão grave que causa tristeza e sofrimento para a vítima e seus familiares”, disse o secretário Ney Leprevost.

A campanha da Secretaria tem como objetivo destacar a importância de denunciar qualquer violência contra as mulheres, seja ela física, psicológica, moral, sexual ou patrimonial, e esclarecer as pessoas que toda e qualquer agressão deve ser combatida.

Desenvolvida pelo Núcleo de Comunicação Social da Secretaria da Justiça, a campanha vai destacar a importância e a gravidade do tema, com frases de sensibilização como: “a violência começa silenciosa e vai evoluindo de forma gradativa” e “ao menor sinal de agressão, denuncie, para que não se torne um feminicídio”.

PROTEÇÃO  Através do Departamento de Garantias dos Direitos da Mulher, a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho desenvolve ações na proteção e garantia dos direitos das mulheres e atua para combater qualquer tipo de violência. Um dos equipamentos é o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), destinado a prestar acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência.

O Estado conta ainda com os Ônibus Lilás, unidades de atendimento itinerante que levam serviços de orientação, acolhimento e prevenção da violência aos municípios paranaenses.

Neste ano também foi instituído um grupo de trabalho para combater e acompanhar os casos de feminicídio no Paraná. Ele é liderado pelo Departamento de Garantias dos Direitos da Mulher. “É mais uma força de trabalho para atuar no desenvolvimento de mecanismos e coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher”, enfatizou o secretário Ney Leprevost.

O grupo de trabalho tem a participação das secretarias estaduais da Saúde e da Segurança Pública; Ministério Público; Tribunal de Justiça; Defensoria Pública; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR); Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM-PR) e a Casa da Mulher Brasileira.

Comentários