Apreensão de maconha realizada pelo BPFron totaliza 3,3 toneladas, a maior de sua história.

Com essa apreensão o BPFRON perfaz um total de mais de 17 toneladas apreendidas em 2019.

FONTE: CGN

apreensão de maconha realizada hoje (26) pelo BPFron (Batalhão de Polícia de Fronteira), durante a Operação Hórus, em Foz do Iguaçu, totalizou 3 toneladas e 372 quilos. Esta foi a maior apreensão dos sete anos do BPFron.

Os militares perceberam um veículo suspeito saindo de uma residência e iniciaram um acompanhamento tático a Van, com placas do Paraguai, o que se desenrolou por várias ruas de Foz do Iguaçu.

Durante a abordagem, a equipe constatou que a Van estava carregada com tabletes de maconha. Um homem de nacionalidade paraguaia acabou preso. A droga que estava no carro totalizou 800 kg.

Posteriormente, ao procederem buscas na residência onde o veículo havia saído, foram encontrados mais uma carga oculta nos cômodos totalizando outros 2.532 quilos de maconha do mesmo grupo criminoso, perfazendo um total de 3 toneladas e 372 quilos de maconha.

Nos 7 anos do BPFron, essa é maior apreensão de maconha da Unidade e expressa o fim para o qual foi criada, represar ainda na origem as drogas e armas que adentraram ilegalmente o país, atacando diretamente a raiz do problema que acaba refletindo nas capitais e grandes centros do Brasil.

Com essa apreensão o BPFRON perfaz um total de mais de 17 toneladas apreendidas em 2019

A Operação Hórus integra o Programa V.I.G.I.A. sendo coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública com o objetivo de coibir os crimes transnacionais. Ela é realizada de forma integrada pela Receita Federal do Brasil, Polícia Federal (PF), Batalhão de Polícia de Fronteira da Polícia Militar do Paraná (BPFRON), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) da Polícia Civil do Paraná, Força Nacional de Segurança Pública e Exército Brasileiro, com apoio da Secretaria de Operações Integradas (SEOPI) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Comentários