Inspeção de Pulverizadores na Região de Campo Mourão: a prática de uma agricultura mais Sustentável.

O IDR-Paraná tem implementado práticas sustentáveis de produção de grãos junto à grupos de produtores assistidos, adotando algumas propriedades como referência para difusão das mesmas.

O controle das diversas moléstias que afetam as lavouras de grãos sejam pragas, doenças ou plantas daninhas, é prática essencial para que as plantas expressem seu potencial produtivo. Portanto, no decorrer de uma safra, é comum em nossos campos produtivos a movimentação de tratores e pulverizadores, utilizando-se de produtos químicos e biológicos para o controle eficiente destas moléstias.

O IDR-Paraná tem implementado práticas sustentáveis de produção de grãos junto à grupos de produtores assistidos, adotando algumas propriedades como referência para difusão das mesmas. O destaque é o Manejo Integrado de Pragas e Doenças, tecnologia desenvolvida pela Embrapa que visa o emprego de controle químico apenas quando realmente necessário, diminuindo o número de pulverizações sem a perda de produtividade. Contudo, isto não é suficiente, pois se a pulverização não for bem feita, o controle desejado não é alcançado, os custos de produção são aumentados e áreas vizinhas podem ser prejudicadas.

Para contornar esta deficiência, foi realizada a capacitação de técnicos do IDR-Paraná na Inspeção Periódica de Pulverizadores, uma proposta que visa averiguar junto com os produtores as condições de seus pulverizadores, avaliando diversos itens: condições do manômetro, filtros, pontas de pulverização e adequação dos bicos, vazamentos, uniformidade de vazão e cobertura de pulverização, pressão de trabalho, velocidade de pulverização e volume aplicado.

O treinamento ocorreu no município de Peabiru, na propriedade do produtor Claudemir Talhari Hernandes, e envolveu técnicos de 13 municípios da região, onde a instituição trabalha o Projeto Grãos. A instrutora foi a Eng. Agrônoma Dra. Karina Aline Alves, lotada na região de Cornélio Procópio, especialista em Tecnologia de Aplicação de Produtos Fitossanitários. Este trabalho faz parte de uma proposta estadual de qualificação de técnicos e produtores, visando o profissionalismo na prática de pulverização, com a redução do efeito de deriva dos produtos para lavouras vizinha susceptíveis, áreas urbanizadas, criações e áreas de preservação permanente.

Um diferencial deste treinamento foi a utilização de uma inovação tecnológica para gestão e eficiência da pulverização agrícola, o Fluxin, desenvolvida pela empresa Agroflux, uma startup de origem mourãoense. O equipamento foi cedido justamente para facilitar e difundir a correta regulagem de pulverizadores e está sendo utilizado em todo o estado para a capacitação de técnicos e produtores. O equipamento avalia de forma rápida a vazão de cada ponta de pulverização, transmitindo imediatamente a informação para uma aplicativo de celular, via bluetooth, indicando onde estão os problemas de vazão, abaixo ou acima do desejado, a uniformidade ou não da pulverização, a necessidade ou não da troca de bicos.

O mesmo trabalho esta sendo realizado em uma parceria com o SENAR, com a realização de cursos junto aos produtores e a expectativa é de que a Inspeção Periódica de Pulverizadores se torne uma rotina a cada nova safra, beneficiando não somente os produtores de grãos, mas também seus vizinhos sericicultores, fruticultores, horticultores, apicultores ou mesmo populações urbanas, bem como o meio ambiente.

Responsável pela Matéria: Sandro Cesar Albrecht – Eng. Agrônomo - Coordenador de Projetos – Região de Campo
Mourão.

Comentários