Após novo apelo do governo, caminhoneiros bolsonaristas começam a liberar rodovias em vários estados.

Manifestações aconteceram em rodovias de pelo menos 16 estados. Durante a manhã, na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis tiveram o trânsito liberado pelos manifestantes.

Fonte: G1.

Foto: TV Globo/Reprodução

Pelo segundo dia consecutivo, caminhoneiros que são a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) promovem manifestações e bloqueiam rodovias em todo o país nesta quinta-feira (9).

Paralisação de caminhoneiros pode piorar inflação e atividade econômica em setembro

Às 11h, segundo boletim do Ministério da Infraestrutura com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), eram registrados pontos de concentração em rodovias federais de 14 estados, com interdições apenas em 5: BA, MA, MG, MS e SC. Nos estados de RS, PR, ES, MT, GO, TO, RO, PA e RR o trânsito está liberado, mas ainda há abordagem a veículos de cargas. Levantamento do G1 apontou manifestações no estado de São Paulo.

Até o fim da manhã, algumas rodovias já estavam sendo desbloqueadas. Em São Paulo, as estradas foram liberadas, mas os manifestantes seguem nos acostamentos. Vias foram liberadas em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. Em Santa Catarina, grupo bloqueia saída de refinaria. Veja abaixo onde ainda há bloqueios.

 

Na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis tiveram o trânsito liberado pelos manifestantes.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, não há mais pontos de interdição de pistas na malha rodoviária federal, salvo protesto pela causa indígena na BR-174/Roraima.

O presidente Jair Bolsonaro gravou um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as estradas do país. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação "atrapalha a economia" e "prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres".

 

  • Entenda o contexto dos protestos
  • Golpismo de Bolsonaro prejudica retomada da economia e crise pode se acentuar; entenda
  • Grupo de apoiadores de Bolsonaro causa tumulto na porta do Ministério da Saúde, em Brasília
  • Na quarta-feira (8), um dia após os atos antidemocráticos de 7 de Setembro, houve bloqueios em estradas de pelo menos 15 estados: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, São Paulo e Pará.

     

    Caminhoneiros na Esplanada dos Ministérios

     

    Além das manifestações nas rodovias, caminhoneiros também seguem bloqueando vias da Esplanada dos Ministérios, em Brasília: seguem interditadas a N1 e a S1. Os manifestantes viraram a noite na Esplanada. Houve movimentação de viaturas policiais para reforçar a segurança.

    A pista, que dá acesso ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Palácio do Planalto – além de prédios dos ministérios – foi fechada na noite de domingo (5), para as manifestações de 7 de Setembro. No entanto, um grupo que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e defende medidas inconstitucionais, por meio de faixas, cartazes e palavras de ordem, permanece no local.

  • Locais dos protestos

    Em São Paulo, caminhoneiros bloquearam ou interditaram parcialmente ao menos 4 importantes vias nesta quinta (9). Ainda na manhã desta quinta, as estradas haviam sido liberadas, mas os manifestantes seguiam nos acostamentos. As rodovias afetadas foram: Anhanguera, Dutra, Régis Bittencourt e Rodoanel.

    Ainda no estado, houve manifestação na Rodovia Geraldo de Barros, na região de Piracicaba, causando congestionamento. Às 11h, a rodovia já estava liberada.

    No Rio de Janeiro, houve um protesto na Rodovia Washington Luís (BR-040), quilômetro 113, na altura da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), sentido Juiz de Fora. No sentido Rio não houve interdição. O local dá acesso à refinaria e a um ponto de distribuição de combustível para a Região Metropolitana do Rio. Por volta das 8h, os motoristas tinham desocupado a via.

     

    Também houve protesto na BR-465, antiga Rio-São Paulo, na altura do quilômetro 13, entre a Zona Oeste do Rio e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na quarta-feira (8), houve manifestação na BR-101, altura do quilômetro 75, e os motoristas fizeram bloqueio para impedir a passagem de outros caminhões.

  • Em Santa Catarina, foram registrados pontos de bloqueio em cinco rodovias. Somente caminhões não estão autorizados a seguir viagem. Caminhoneiros também bloquearam a base de distribuição de combustíveis em Guaramirim, perto de Joinville, e a cidade está com mais da metade dos postos de combustíveis sem gasolina nesta quinta-feira.

    Os trechos bloqueados são:

    BR-101: km 72, em Araquari; km 353, em Jaguaruna; km 375, em Içara; km 402, em Maracajá; km 419, em Araranguá; km 451, em São João do Sul.

  • BR-280: km 1,4, em São Francisco do Sul; km 11, em São Francisco do Sul; km 55, em Guaramirim; km 121, em São Bento do Sul; km 230, em Canoinhas.

  • BR-116: km 07, em Mafra; km 138, em S. Cecília

  • BR-470: km 4, em Navegantes; km 45, em Gaspar; km 89, em Ascurra
  • BR-282: km 606, em Maravilha; km 646, em São Miguel do Oeste.
  • No Paraná, mais de 10 trechos de rodovias estão com bloqueios ou restrição para circulação de veículos de carga. A PRE informou que, na maioria dos pontos, a adesão é facultativa, com liberação para ambulâncias e veículos de emergência, além de caminhões e furgões com cargas de produtos perecíveis.
  • Na Bahia, foram bloqueados ao menos duas rodovias federais: a BR-242, na entrada de Luís Eduardo Magalhães, oeste do estado; e o km 418 da BR-116, na saída de Feira de Santana, que fica a cerca de 100 quilômetros de Salvador. As vias foram liberadas por volta das 10h30 pelas polícias Militar e Rodoviária Federal .
  • Em Goiás, foi o segundo dia consecutivo de atos em seis pontos diferentes. Em apenas um ponto há bloqueio parcial rodovia. Nos outros locais, o trânsito segue normalmente. Na quarta-feira (8), foram registradas manifestações em sete locais.
  • Em Roraima, um grupo de caminhoneiros bloqueia parcialmente um trecho da BR-174 e impedem a passagem de veículos de carga. O ato ocorre na região do Água Boa, sentido Sul de Roraima.
  • Em Minas Gerais, caminhoneiros bloquearam as pistas da rodovia Fernão Dias (BR-381) nos dois sentidos, na altura de Igarapé, na Região Metropolitana. Após ação da Polícia Rodoviária Federal, as pistas foram totalmente desbloqueadas.

    Durante os bloqueios, carros de passeio foram impedidos de trafegar pela rodovia. Segundo a Arteris Fernão Dias, concessionária que administra o trecho, a fila de carros no sentido Belo Horizonte, a primeira a ser totalmente interditada, chegava a 6,5 km às 9h15.

Na região sul do estado, manifestações que iniciaram no início da noite de quarta continuam nesta quinta. Caminhoneiros colocaram fogo em pneus durante manifestação na MGC-267, no Marco Divisório, em Poços de Caldas. Segundo a PMR, mais de 85 caminhões participam da paralisação.

Em Varginha, a paralisação segue na na MGC-491, em uma das entradas do município. Também há manifestação em Passos. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, a paralisação acontece na MG-050, perto do aeroporto, e 150 caminhões estão parados na rodovia.

As regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de MG seguem com pontos em rodovias parcialmente fechados, mas alguns trechos já foram liberados.

No Maranhão, foram registrados atos de protesto em duas rodovias que cortam o estado. Na BR-010, no km 300, perto da cidade de Cidelândia, até o início desta tarde, está permitida apenas a passagem de veículos de serviços essenciais, como ambulâncias. Já na BR-230, em Balsas, os manifestantes liberaram a pista por volta das 10h e estão se concentrando nas margens da rodovia.

No Pará, há bloqueio parcial de trechos das rodovias BR-316 e BR-010. Os manifestantes estão localizados em seis pontos do estado com restrição de tráfego para alguns caminhões em Benevides, principal via de acesso à capital Belém, Paragominas, Santa Maria do Pará, Dom Eliseu, Mãe do Rio e Capanema.

Em Pernambuco, os caminhoneiros bloquearam parcialmente duas rodovias federais, mas a liberação aconteceu antes das 8h. As vias atingidas foram a BR-101, na altura de Igarassu, no Grande Recife, e a BR-408, em Paudalho, na Zona da Mata.

No Rio Grande do Sul, manifestantes bloquearam totalmente o km 415 da BR 153, na altura de Cachoeira do Sul, e a RSC-453 (Rota do Sol), em Caxias do Sul, na Serra. Os trechos foram desocupados às 10h.

No Tocantins, foram registrados três pontos de bloqueio na BR-153 no início desta manhã. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os atos ocorrem em Araguaína, Paraíso do Tocantins e Gurupi.

No Espírito Santo, não houve interdição das pistas, mas sim mobilizações nas rodovias BR-101, BR-262, BR-447 e BR-482. Segundo a PRF, os atos foram encerrados por volta das 11h10.

Em Mato Grosso, sete pontos de bloqueio nas BR-163/364 e BR-070 foram registrados no início da manhã. De acordo com concessionária Rota do Oeste, que administra a rodovia, os atos ocorrem em Várzea Grande, Cuiabá, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop.

Em Mato Grosso do Sul, grupos de caminhoneiros bloquearam rodovias que cortam o estado, com pontos de interdição nas BRs 163 e 158.

Comentários