Veículo é autuado com mais de R$ 120 mil em débitos.

Além dos veículos irregulares, um motorista foi encaminhado por embriaguez e por não ter habilitação.

Uma equipe Guarda Municipal autuou e removeu na noite desta quarta-feira (19) um veículo com mais de R$ 120 mil em débitos atrasados. O dono do automóvel da marca Kia foi autuado e o veículo com placa de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, removido por não estar licenciado.

O motorista foi abordado na Rua Ubaldino do Amaral, no Centro. Ao pedir a documentação, os guardas descobriram que o veículo tinha mais de R$ 97 mil em multas. Além disso, o proprietário nunca havia pago o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e outras taxas.

Também nesta quarta-feira, um veículo da marca Fiat foi autuado e removido em uma blitz no bairro Barreirinha realizada por agentes da Superintendência de Trânsito de Curitiba (Setran). Depois de analisar a documentação contatou-se que o veículo, também com placa de Colombo, tinha mais de R$ 30 mil em débitos.

Além dos veículos irregulares, um motorista foi encaminhado por embriaguez e por não ter habilitação.

Fiscalização

As equipes técnicas da Superintendência de Trânsito (Setran) trabalham de forma intensa para melhorar a segurança viária. São ações de rotina e blitze organizadas para reprimir situações como excesso de velocidade (com o apoio de radares estáticos), falta de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), veículo em mau estado de conservação e o chamado “infrator em série”, que acumula multa de todo tipo.

Documentação

Se o IPVA não estiver pago, o licenciamento anual não é emitido. Flagrado em fiscalização de trânsito, o veículo nesta situação pode ser removido. A medida está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Além do transtorno gerado pelo guinchamento do veículo, para recuperá-lo o responsável vai precisar pagar todos os débitos, o que inclui o IPVA, o licenciamento anual e multas de trânsito vinculadas, somados aos serviços de remoção e às diárias no pátio, cujos valores variam e podem ser conferidos no site da Setran.

O texto é da Banda B.

Comentários